domingo, 9 de fevereiro de 2014

JANELAS DA VIDA



janelas abertas para a vida
diálogos de alegria com o mundo circundante
é madrugada e o sono infante
inspira sonhos claros
assegurado o céu tranquilo
de azul intenso entre nuvens brancas

o sonho mistério traz visões tão simples
desperta-me na noite escura
para ajudar a compreender a vida enorme
que a psicologia interpreta sem razão

o vento sopra cenários de dentro para fora
e sinto escrevendo um poema
a lembrança que é memória e diz que há tudo ainda
por viver embora

janelas abertas para a vida é a sensação que se esconde
em meio ao esquecimento de viver 
frágil ainda neste estágio

o sono o sonho dialogam comigo
o som macio da maré em frente que se desdobra calma
é madrugada de verão


Rio, fevereiro de 2014.



Nenhum comentário:

Postar um comentário