sexta-feira, 17 de junho de 2022

SER

 


na solidão de hoje

a consciência da vida

nosso único bem

tempo vencido

inútil agora

embora a memória nos permita viver


estou vivo

das promessas de antes 

permanece a esperança

esse é o destino

esperar o futuro e crer


o desconhecido presente

devo ao futuro o presente

e me reconforto de estar sendo


Rio de Janeiro, junho de 2022.

Nenhum comentário:

Postar um comentário